sábado, 8 de fevereiro de 2014

"Vou sair para a rua, apetece-me andar à chuva. 
Sentir o peso da tempestade nos ossos. 
Enterrar-me na própria tempestade. 
A chuva escorrendo pela cara lavar-me-á da poeira da noite insone e do medo, branco medo daqueles tortuosos corredores onde me perco durante o sono, e procuro uma mão, uma corda de luz, um pedaço de espelho que me indique o caminho para ti." 

- Al Berto, em Diários

My paradise