segunda-feira, 9 de novembro de 2009

Crucifixo

Imagem retirada daqui

Fernanda Câncio veio hoje na sua coluna do DN falar sobre os crucifixos nas escolas, a decisão do Tribunal Europeu contra a Itália e conotando a implementação dos crucifixos com ideologias fascistas...

O Estado é (ou deveria ser laico), e já nem vou falar em como as posições oficiais da Igreja influenciam o sentido da opinião pública em temas controversos como o aborto, a eutanásia ou a homossexualidade. Vou sim falar do seguinte: segundo a sentença do Tribunal Europeu um Estado deve "abster-se de impor, mesmo indirectamente, crenças, nos lugares em que as pessoas estão deles dependentes ou ainda naqueles em que as pessoas são particularmente vulneráveis", porquê que um dos pontos de rejeição da Turquia à entrada na UE foi precisamente a religião?

E o que dizer do uso da burka em países como a França ou Inglaterra? Uns poderão considerar isso liberdade religiosa; eu vejo como uma negação aos padrões culturais europeus...
Com toda esta história do politicamente correcto e de não se querer ofender as outras religiões, os europeus estão a perder a sua identidade...
Qualquer dia nem o Natal podemos celebrar com medo de ofender alguém...

2 comentários:

  1. Sempre ouvi dizer que a democracia é mesmo isso, a liberdade e (co)existência do bom e do mau. Se assim não fosse seria uma ditadura.

    Mas que perdemos tempo (demasiado)com discussões tipo "sexo dos anjos", lá isso é verdade.

    Sim, estamos a perder a identidade, em nome da "Democracia e liberdade disto e daquilo".

    Temos o que merecemos?...talvez. Mas, felizmente que ainda restam uns quantos, que mesmo remando contra a maré, vão tentanto que nada (ou pouco) se perca.

    ResponderEliminar
  2. nao os vejo a pedir a extinção do feriado da Sexta-feira de Páscoa, do Corpo de Deus, o 15 de Agosto e o 8 de Dezembro, o Dia de Natal, e todas essas coisas conotadas com ideologias fascistas.

    ResponderEliminar

The summer is gone III