quinta-feira, 28 de novembro de 2013

O tempo sujo

Há dias que eu odeio
Como insultos a que não posso responder
Sem o perigo duma cruel intimidade
Com a mão que lança o pus
Que trabalha ao serviço da infecção
 
São dias que nunca deviam ter saído
Do mau tempo fixo
Que nos desafia da parede
 
Dias que nos insultam que nos lançam
As pedras do medo os vidros da mentira
As pequenas moedas da humilhação...
 
- Alexandre O'Neill

Sem comentários:

Enviar um comentário

The summer is gone III