quinta-feira, 5 de março de 2009

Luto


Quando uma relação de repente acaba, passamos por uma fase que alguns denominam de luto. Parece que o mundo desabou e andamos ao caídos, sem qualquer propósito e feitos zombies. As noites parecem mais longas, especialmente quando o sono teima em chegar, a cama mais fria, a saudade rói por dentro deixando-nos acorrentados a uma doce lembrança, deixando-nos de olhos vazios e de coração sofrido...

Mas teimamos em continuar a viver, ou a sobreviver, e muitas vezes para mitigar a dor, saltitamos de cama em cama, entregando-nos a corpos e suores estranhos: "Tantos quartos de hotel, amar e partir". E chega uma certa altura que acabamos por ter pena de nós próprios, um dos piores sentimentos que podemos nutrir...

E chega um dia que o luto acaba...olhamos para trás, para este tempo de trevas e pensamos: tanto tempo que desperdicei...

6 comentários:

  1. "desperdicei..." ou não!
    A solidão e os sentimentos que esta acarreta mantêm-nos despertos e atentos na procura de conforto na companhia dos próximos e isso é bom.É viver e deixar viver!
    Espero que não andes triste...
    bj

    ResponderEliminar
  2. teimar em viver parece-me uma boa opção.
    achar um desperdicio... já não me parece tão boa ideia.
    pena de nós próprios... quem tem penas são as galinhas!!!

    ResponderEliminar
  3. ... sorri porque um dia aconteceu!

    ResponderEliminar
  4. Há alguns anos atrás passei por esta fase, e sim tive pena de mim...porque por vezes, se calhar por estarmos carentes, nem sempre conhecemos as melhores pessoas.

    ResponderEliminar
  5. Mac, tens razão. Lutos feitos assim devem deixar um amargo de boca. Mas sejam feitos como for smp deixam.
    Sobre a foto no fotodicionario, é o de S. Mamede sim.
    Bom f.s.
    Bj
    Luz e paz contigo

    ResponderEliminar
  6. Chega sempre o dia em que o luto acaba! É uma das coisas boas da passagem do tempo...

    ResponderEliminar

The summer is gone III