quinta-feira, 8 de abril de 2010

NÃO HÁ ÉTICAS INDOLORES


Foi no outro dia, num seminário, que ouvi esta frase fabulosa...A palavra ética deriva de Ethos (morada), e na nossa sociedade torna-se dificil construir e solidificar esta nossa morada interior. A sociedade encontra-se cada vez mais virada para o consumo imediato, para a cultura "mastiga e deita fora". O aqui e agora, a aquisição de bens materiais como forma de provar um status, substituiram o "querer ser" pelo "querer ter", cultivando-se o culto da eficácia e do sucesso. Sinto como se palavras como "dever" e "princípios" pertencessem a épocas remotas.
Construir a nossa morada interior, implica ser responsável pelas nossas acções, aceitando as suas consequências. É muito mais fácil olhar para o lado,omitir o desagradável, deitar fora o que não interessa e adquirir algo de novo. Ser ético implica um grande esforço, implica não desistir e ter a coragem de construir algo, mesmo que as consequências das nossas verdades impliquem um desabar do nosso mundo.
Tenho sentido na pele as consequências de ser-se sincero, e por vezes desejo voltar atrás e apagar esse momento da minha vida. Teria sido tudo bem mais fácil...
Mas...se calhar as escolhas teriam sido diferentes; resta-me a consolação de saber que fiz a escolha acertada e de saber que posso olhar-me ao espelho...

Sem comentários:

Enviar um comentário

The summer is gone III