sexta-feira, 2 de abril de 2010

Velhos Amantes

Amor que grita, amor que cala / amor que ri, amor que chora / mil vezes eu peguei na mala / mil vezes tu te foste embora / E tanto barco a ir ao fundo / tornava o mar da nossa casa / em oceano de loucura / quando oscilava o nosso mundo / eu perdia o golpe de asa / e tu o gosto da aventura / Ai meu amor amargo doce e deslumbrante amor / amor à chuva, amor em sol maior / amor demais amor eterno / Conheço bem os teus desejos / e tu as minhas fantasias /
morreste em mim todos os beijos / nasci em ti todos os dias / Se muita vez fomos traição / e muita vez mudou o vento / e muito gesto foi insulto / em tanta dor de mão-em-mão / nós aprendemos o talento / de envelhecer sem ser adultos / Ai meu amor amargo doce e deslumbrante amor / amor à chuva, amor em sol maior / amor demais amor eterno / E quanto mais o tempo passa / e quanto mais a vida flui / e quanto mais se perde a graça / do que tu foste e da que eu fui / Mais a ternura nos aperta / mais a palavra fica certa / mais o amor toma lugar / envelhecemos mais depressa / mas nos teus olhos a promessa / vai-se cumprindo devagar / Ai meu amor amargo doce e deslumbrante amor / amor à chuva, amor em sol maior / amor demais amor eterno.

"Os Velhos Amantes" - cantado por Misia, adaptado por Rosa Lobato Faria

Ying/Yang, noite/dia, optimismo/pessimismo, serenidade/tempestade, chuva/sol ...mil vezes a ameaça da partida, mil desentendimentos...
Tudo coisas que à primeira vista poderiam ser vistas como ameaças, e ser vistas como motivo de afastamento, mas que quanto a mim tem vindo a servir para consolidar ainda mais os nossos sentimentos e a ajudar-nos a percorrer o nosso caminho.
Apesar de todas as nossas diferenças, conseguimos cultivar um companheirismo, cumplicidade, um querer estar...
Se alguém trilhar um caminho de montanha, e não se deparar com qualquer obstáculo, chega-se ao cimo sem qualquer sensação em especial. Agora, se depararmos com silvas que nos deixam todos arranhados, com pedras que teimam em barrar-nos o caminho, com subidas ingremes que nos cortam a respiração, quando chegamos ao fim sentimos uma felicidade e um extâse sem par. E tu és a pessoa ideal para trilhar este caminho, pois não vais à minha frente para alumiar o caminho, nem vais atrás de mim para me empurrares. Vamos antes lado a lado, ajudando-nos mutuamente perante as dificuldades que surgem...
© MAC -

2 comentários:

  1. Fiquei preso na tua frase final:
    "E tu és a pessoa ideal para trilhar este caminho, pois não vais à minha frente para alumiar o caminho, nem vais atrás de mim para me empurrares. Vamos antes lado a lado, ajudando-nos mutuamente perante as dificuldades que surgem"
    Adorei...

    ResponderEliminar
  2. "ei Fadista!!"

    Como alguém disse um dia: ..."não me interessa quem (e o que) está do lado de lá da barricada. Quero saber sim, é quem estará ao meu (e do meu)lado, para o que der e vier"

    ;)

    Tudo de bom.

    ResponderEliminar

The summer is gone III