Avançar para o conteúdo principal

3 days in Barcelona

Na semana passada aproveitei as mini férias de Carnaval para ir a Barcelona, cidade que me fascinava há já alguns anos, e que esteve à espera da democratização do preço dos voos para ter a minha visita.
E foi uma cidade que não me decepcionou...É uma cidade esplêndida, magnificamente bem estruturada, com uma excelente rede de transportes públicos, e indicações bastante claras para quem não conhece a cidade.
Uma cidade que respira arte...

Comentários

  1. :) Há quanto tempo tenho vontade de lá ir.... ai ai! :D
    Agora fiquei com mais ainda!!
    Ainda bem q gostaste. Boa semana!

    ResponderEliminar
  2. fui lá, estive lá uma semana inteira, sete dias a visitar coisa, lá voltarei brevemente, fascina-me aquela cidade, tem um ambiente muito especial.

    ResponderEliminar
  3. estive lá dois dias em julho passado, por causa da "democratização do preço dos voos". confesso que não ficou nas favoritas, mas gostei muito da "ciutat vella".

    ResponderEliminar
  4. Eu que sou um fâ de tudo o que é espanhol, tenho uma paixão pela cidade.
    Quer de carro, quer a pé, tanto o casco antigo, como a parte nova, são fantásticas.
    Há um hotel, o Gutemberg, ao fundo das ramblas, suponho que de 3 estrelas, mas muito asseado.
    No quarto, um dos roupeiros encerra uma placa de fogão, não sei se eléctrica se a gás e um frigorífico.
    É uma cidade maravilhosa para quem possa gozar férias em Julho ou Setembro. (Ou na Páscoa, se tiver sorte e estiver bom tempo).
    Numa semana não conseguimos visitar tudo, mas temos que nos documentar antes.
    Quem ficar nos arredores, tem hotéis mais luxuosos e a preços que nem acreditamos, mas em poucos minutos, de metro ou combóio, chega-se ao centro da cidade.
    Quem vai de carro, se tiver atenção, nunca se perde. A Avenida Diagonal, que atravessa a cidade em diagonal, leva-nos onde necessitamos e orienta-nos.
    Naquelas transportadoras aéreas de baixos preços, quem compre os bilhetes com 4 meses de antecedência, consegue fazer ida e volta por 49 euros, SIM 49 EUROS IDA e VOLTA, com as taxas e alcavalas, fica por menos de 100 euros.
    Atenção que só se podem transportar 15 quilos de bagagem e todos os extras são caros.


    Já agora desculpe, mas "dê corda à máquina do filme", que não "rola"

    ResponderEliminar
  5. De facto, uma cidade que merece ser visitada, mas com mais tempo.
    Bem… pelo que dizes, não tardarás a voltar.

    Abraço.

    ResponderEliminar
  6. O filme roda, mas tens de esperar 1 pouco. Eu reservei a minha viagem em Dezembro, pela Ryanair, e paguei 29€ ida e volta, com taxas incluídas...Já agora, para quem tiver a bolsa pouco abonada, uma alternativa aos hotéis são os hostels (tipo albergue da juventude). Claro que não há o conforto, privacidade e comodismo de 1 hotel, mas permite conviver com mais pessoal, é económico, e se objectivo é ter apenas 1 lugar onde dormir, é o ideal.

    ResponderEliminar
  7. Costumo dizer que não vou muito à bola com os espanhóis (mesmo tendo uma mulher de descendência espanhola), mas é bem verdade que "eles não brincam em serviço".

    De Espanha só conheço Santiago de Compostela e Sevilha.(e um pouco de Galicia)

    (Adorei ouvir o Grande FM)

    ResponderEliminar
  8. É espantoso que ainda não tenha conseguido inserir Barcelona nos meus roteiros.
    E já passei lá perto.
    Talvez, e como diz, a democratização dos preços ajude agora à decisão. É que lá em casa somos 4 a pagar bilhete e todos como adultos!

    ResponderEliminar
  9. Escrevi um testamento e não sei onde foi parar.
    Vou repetir resumindo.
    São sim 29 euros + taxas.
    49 + taxas foi para Manchester.
    Eu não vôo, porque tenho MEDO!!!
    Os meus pais se quisessem que eu voasse, tinham-me feito com asas, mesmo que "há mais de 60 anos fosse mais difícil".

    Um "Hostal", é o sítio ideal para quem quer gozar, descançar e pagar pouco.
    São baratos e asseados.
    O pequeno almoço pode não ter 5 estrelas, mas para mim, é superior ao que tomo, a correr em casa !!!
    Aliás, em Espanha, há muitos anos que não há "curiosos", como aqui, na restauração.
    Tenho coisas mirabolantes passadas em Espanha.
    Em BERGA, uma cidade, no caminho de Barcelona para Andorra, na altura não havia auto estrada, depois de darmos uma volta, vi um hostal com bom aspecto e com parque de estacionamento e parei.
    Fui à recepção, verifiquei os preços e pedi dois quartos.
    Paguei, estando incluído o "desayuno".
    No outro dia de manhã, com a família, fomos tomar o pequeno almoço e eu, por questão de educação, fui à recepção agradecer a estadia e pedi um contacto, como faço sempre.
    Qual não é o meu espanto, quando me dizem que tinha que pagar uma data de pesetas do pequeno almoço e do estacionamento do carro.
    Reclamei, disse que não pagava e que chamassem a polícia.
    Depois de muita conversa, vim a descobrir que era dum português, um chico-esperto.
    Teve um azar dos diabos, porque reclamei, nas "Hojas de reclamación".
    Só faltou pedir de joelhos, mas não lhe perdoei a esperteza saloia.

    Os espanhóis são afáveis e, segundo sondagens que tenho lido, todos os dias leio, o El País, o El Mondo e o Faro de Vigo, o povo que mais gostam é dos portugueses, porque não se esforçam minimamente para nos compreender. Nós é que temos que fazê-lo.
    Chega de conversa, que estou a ficar sem tinta ...
    Uma boa semana!

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

Mensagens populares deste blogue

8

Conceito de fim...



Ontem abri aleatoriamente as páginas de um livro, tinha um leve cheiro do teu perfume. Estremeci, a tua memória preencheu-me.

Por momentos esqueci as minhas noites solitárias, tantas noite em que chorei até pensar que já não teria nada dentro de mim, em que todo o sentimento, toda a dor, toda a perda, foram derramadas sobre a almofada, essa almofada a que me agarro nessas noites que parecem não terminar, essa almofada que acalma os pesadelos que teimosamente insistem em visitar-me. Sinto-me oca, vazia, de tanto chorar...A gata, que ocupou o teu lugar na cama, acorda muitas vezes comigo a gritar o teu nome, acorda comigo empapada em suor. Coitada da bichana, mia baixinho junto do meu ouvido, numa tentativa de me reconfortar, o que até resulta, mas os pesadelos da tua ausência são uma visita constante.

Às vezes penso se estes pesadelos não serão a minha consciência a gritar de culpa. Cheguei a desejar a tua morte, sabias? Houve uma altura em que me fartei de correr para…

7

Era uma porta enferrujada. E ela entrou.

O autocarro partiu e a porta atrás dela se fechou.
Carregada de sacos onde cabiam os sonhos que o mundo apagou,
Só pensava em fugir de uma vida sacrificada, na rotina de vida em que tombou.
Saiu de casa com os seus sacos mal o dia madrugou,
Regressa a casa com os seus sacos já a noite se fechou,
Sempre com os seus sacos, mais um dia que acabou.
Carrega uma vida nas pernas que o mundo desengonçou,
As mãos grosseiras, a pele acabada, de tanta casa que limpou.
Quando chega a casa ainda vai cuidar da filha que gerou,
A sopa num ápice tragou,
Enquanto a filha o peito mamou,
Mas de tão cansada nem a própria casa arrumou.
Chega o marido, traste, bêbado, canalha, bate-lhe e ela nem notou,
Mais um dia que se passou.
Deitou-se dorida e sonhou,
Sonhou com uma porta enferrujada que sobre ela se fechou
Ali, com uma pedra com o seu nome ela se deparou
E ela finalmente descansou...