Avançar para o conteúdo principal

Hillary vs Obama


Gostaria que fosse Hillary a disputar as eleições, e a ganhar a presidência dos EUA. Acho-a uma mulher de fibra, que sabe o que quer, e luta por isso, mas parece que as coisas estão más para o lado dela. Será a sua imagem demasiado institucional? Será pela frieza demonstrada?

Obama tem a vantagem de ser uma lufada de ar fresco, reflexo do cansaço que as pessoas começam a ter pelos políticos profissionais, no entanto acho discurso vazio de conteudo. Fala muito de mudança, mas não concretiza como irá fazer essa mudança. Demagogia e populismo à maneira dos políticos portugueses...

Comentários

  1. No entanto parece-me que será Obama a ganhar, à já quem defende um para presidente e outro para vice, não se sabe ainda em que ordem...

    ResponderEliminar
  2. Hillary Clinton poderia ser uma excelente escolha por parte dos "Donkeys" para defrontar o canddidato republicando.

    Tem, contudo, contra si o facto de aos olhos de muitos americanos surgir como mulher, calculista, fria e demasiado envolvida em historietas mal explicadas e bem exploradas como foi o caso "Blackwater".

    Seria, fosse eu americano, a minha favorita.

    Barak Obama, por seu turno, goza da simpatia generalizada que uma campanha bem delineada e com apoios nada dispiciendos (Oprah, por exemplo) lhe conseguiram granjear.

    Ainda não apresentou nada de substancial, nenhuma ideia consistente inserida num projecto e, no entanto, é visto como o candidato da mudança, o herdeiro de John Kennedy que, valha a verdade, é mais um mito da História que propriamente um presidente impoluto.

    Penso, contudo, que Hillary não vai conseguir suster a onda vitoriosa de Barak.

    ResponderEliminar
  3. paulo17:34

    o politicamente correcto, até na cor, há que o dizer!

    ResponderEliminar
  4. Na América tudo pode ocorrer, até o "vencido-morto" republicano, vencer.
    Os republicanos têm o "aparelho" nas mãos e até à contagem do último voto nunca se saberá quem irá vencer...

    Espero que se o Obama se distanciar da Hillary, não haja mortes ...

    ResponderEliminar
  5. Acho que "de carro ou de arado", o resultado vai ser "vira o disco e toca o mesmo"...ou não estivéssemos a falar de eleições nos States.

    ResponderEliminar
  6. Obg Mac. Algo tentaremos.
    Eu gosto de Hilary o pouco que gosto de americanos. Escolher um negro por ser politicamente correcto...bolas, o bruxo republicano está com negros bem reaccionários ao lado! Se me permitem, voto numa mulher que não é impoluta, mas que o assume!
    Talvez se possa respirar um pouco no resto do mundo...
    Abç

    ResponderEliminar
  7. Eu por mim... qualquer um que não seja tão mau como o Bush faça o favor de ganhar!

    ResponderEliminar
  8. O facto que quero realçar nesta escolha de candidatos a disputar a cadeira de whashinton DC é , estarem na corrida pelo lado "democrático" uma mulher e um negro, se pensarmos que apenas 5 anos antes de eu nascer(1960)negros não poderem frequentar os mesmos espaços publicos que os brancos e as mulheres terem um voto nulo em praticamente todas as materias. Contudo continua o racismo latente ao designarem um nascido nos EUA, um afro-americano, pois se obama é um afro americano, o que era JFK? um irish americano? e o que são todos aqueles que colonizaram a america, com excepção de indios confinados a reservas ridiculas?
    que ganhe um dos dois, será sempre a maior mudança politica daquele país.
    abraço, e desculpa o testamento...:)

    ResponderEliminar
  9. Anónimo18:19

    Hillary seria no mínimo a representatividade que a mulher merece no mundo; mais do que nunca precisamos de mulheres cuidando de muitos assuntos, cuidando de nosso Planeta. Não precisamos de mulheres feito homens, precisamos de feminas com sua autêntica estatura, pares com os homens, não precisamos de mulheres submissas, não precisamos de estereótipos políticos, precisamos de Hillarys, precisamos das filhas da nossa Terra.

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

Mensagens populares deste blogue

8

Conceito de fim...



Ontem abri aleatoriamente as páginas de um livro, tinha um leve cheiro do teu perfume. Estremeci, a tua memória preencheu-me.

Por momentos esqueci as minhas noites solitárias, tantas noite em que chorei até pensar que já não teria nada dentro de mim, em que todo o sentimento, toda a dor, toda a perda, foram derramadas sobre a almofada, essa almofada a que me agarro nessas noites que parecem não terminar, essa almofada que acalma os pesadelos que teimosamente insistem em visitar-me. Sinto-me oca, vazia, de tanto chorar...A gata, que ocupou o teu lugar na cama, acorda muitas vezes comigo a gritar o teu nome, acorda comigo empapada em suor. Coitada da bichana, mia baixinho junto do meu ouvido, numa tentativa de me reconfortar, o que até resulta, mas os pesadelos da tua ausência são uma visita constante.

Às vezes penso se estes pesadelos não serão a minha consciência a gritar de culpa. Cheguei a desejar a tua morte, sabias? Houve uma altura em que me fartei de correr para…

7

Era uma porta enferrujada. E ela entrou.

O autocarro partiu e a porta atrás dela se fechou.
Carregada de sacos onde cabiam os sonhos que o mundo apagou,
Só pensava em fugir de uma vida sacrificada, na rotina de vida em que tombou.
Saiu de casa com os seus sacos mal o dia madrugou,
Regressa a casa com os seus sacos já a noite se fechou,
Sempre com os seus sacos, mais um dia que acabou.
Carrega uma vida nas pernas que o mundo desengonçou,
As mãos grosseiras, a pele acabada, de tanta casa que limpou.
Quando chega a casa ainda vai cuidar da filha que gerou,
A sopa num ápice tragou,
Enquanto a filha o peito mamou,
Mas de tão cansada nem a própria casa arrumou.
Chega o marido, traste, bêbado, canalha, bate-lhe e ela nem notou,
Mais um dia que se passou.
Deitou-se dorida e sonhou,
Sonhou com uma porta enferrujada que sobre ela se fechou
Ali, com uma pedra com o seu nome ela se deparou
E ela finalmente descansou...