Avançar para o conteúdo principal

Pântano Primaveril


A Primavera já chegou...É o momento do ano em que a noite e o dia têm igual duração.
Segundo a cultura Celta, este seria o tempo para Rituais de fertilidade, ocasião na qual a vida se renovaria, sendo tido como um momento de união e amor entre a Deusa (Lua) e o Deus (Sol), pois é um período de igualdade e equilíbrio entre as forças da Natureza, e isso indica também que é o momento ideal para fortalecer a energia de complementaridade entre homem e mulher.

Na Primavera de 2007, assistimos a um pântano político cada vez mais putrefacto: não se distingue a direito da esquerda, misturando-se ideologias ao gosto de cada um; o triste espectáculo de Domingo vem demonstrar que a sede de poder de uns e outros, colocando-se acima de qualquer moral ou qualquer desejo de renovação política. O que vale é que o povo é de memória curta e daqui a uns meses tudo será esquecido, voltando o Paulinho (sim, que ele vai levar a dele avante) a ter a popularidade que sempre teve.

Quanto à complementariedade entre homem e mulher, é triste ver que, tantos anos volvidos da luta das mulheres pelo seu lugar na sociedade, há hoje, um programa de televisão que faz das mulheres um bando de cabeças ocas, ouvindo da sua própria boca que é praticamente impossível aliar beleza e inteligência...E mais triste ainda é ver uma pessoa como a Clara Pinto Correia a compactuar com este tipo de programa. Muito sinceramente, esperava mais desta senhora...
Isto é a prova mais que provada, que o dia 8 de Março, é apenas mais um dia no calendário...

Comentários

  1. Comentários no tudo, como se vai vendo e ouvindo, pântano de insectos. Mas as flores, não, elas sobrevivem, para nós. Felizmente! Não as dos arranjos na assembleia ou nas mesas de discursos: as dos campos, as dos nossos vasos, as serenas e esquecidas nos jardins que já não se usam. Flor, poesia...até logo no PPP. Bjinho
    ("compactuar" existe? eu adoro a nossa língua...desculpa se me enganei)

    ResponderEliminar
  2. Vim atrás do John Lenon e que encontro? Maravilha!
    Mas que programa é esse? Onde, quem?...a Clara Pinto Correia o quê? Eu, no meu retiro, não sei de nada, juro... mas agora estou curiosa.
    Estive a ler um bocadinho e gostei deste espaço para exercer a minha recalcitrância... Posso?
    Óbidos não merecia "aquilo".
    E pelo evoluir da situação (leiam editorial da Visão) eu também acho, que acabou.
    Olhem, o vice da Indep. foi dentro...

    ResponderEliminar
  3. Olá Meg, sejas bem vinda. Esse programa dá pelo nome de "A Bela e o Mestre", sendo exibido pela TVI (no Domingo faz zapping e em 5 minutos, percebes tudo)

    ResponderEliminar
  4. Adorei este post!
    Simples, informativo, mordaz e divertido...

    Sempre tive para mim que a Sociedade Matriarcal é a solução...mas estamos muito longe disso...
    Existem 5000 anos a separar-nos...!

    Falam, falam, falam, falam...!

    Fico chateada...!
    Pois fico!
    ehheheh

    :)

    ResponderEliminar
  5. Olá MAC

    Começaste tão bem a falar do namoro do Sol e da Lua e foste indo e estragaste tudo!

    Deixa lá essas coisas de politiquisses, eles nem merecem a nossa atenção.

    Sobre a inteligencia das mulheres, ou falndo do dito programa...
    Parece que esqueces que tem um enorme grupo que entende que a beleza é mais importante que a inteigencia, por isso acho que devem ter o seu lugar ao sol num programa do genero...

    Vá, vou-me pirar.

    Um gude uiquende per tê
    Até outro desinstante e... CHEERS

    ResponderEliminar
  6. antes da primavera devia ter vindo era o verão lol.Bjokas

    ResponderEliminar
  7. Vamos só pensar nas coisas boas:) Este mês de Março cheira bem...cheira a flores, e já imagino aqueles finais de tarde à beira mar.
    Claro que não nos podemos esquecer da rinites alérgicas e que hoje muda a hora :))))))))

    ResponderEliminar
  8. Adoro as tuas flores. O pântano político está de facto cada vez mais fundo. Haverá como de lá sair?
    Quanto ao programa que falas, nunca vi. Não me posso pronunciar, mas parece-me mais uma das habituais porcarias da TVI. **

    ResponderEliminar
  9. olá amiguita
    espero ke o teu fim de semana lá em cima tenha sido do melhor. o tempo esteve awsome :)

    A Clara P.C. está a ficar um pouco pateta..nao sei pk

    Rituais de fertilidaded ?! hummm

    beijo

    ResponderEliminar
  10. pedro alex22:56

    Ola Mac:)

    Hoje lembrei-me de ti:)
    Quando Salazar é o pretoguês mais votado, sem querer comentar a percentagem de votantes ou consistencia da representação, está tudo dito.
    Já compre uma vara para chibatear que me aborreça, pode ser que resulte lol lol lol.
    O Pobão gosta:):)
    1 bj

    ResponderEliminar
  11. Sempre gostei da Primavera, pelas cores que retornam mas principalmente porque o Verão vem já a seguir :D. Só há um senão... as malditas alergias, ACHIM!
    TVI? LOL, longe vão os tempos em que era bom ter que esperar para ver os Ficheiros Secretos e outras séries de qualidade. Mas pelos vistos é necessário ser estúpido para ter audiência... será? Eu acho que no fim as pessoas cansam-se e querem qualidade, basta olhar para a RTP e a SIC que têm vindo a fazer um esforço pela qualidade (principalmente a primeira).

    ResponderEliminar
  12. Mas que tu aqui fizeste com que não fosse apenas isso e que pelo meio de um canto à Primavera, soubeste associá-la ao florir que também o é a paridade de direitos e oportunidades entre todos os seres humanos de que uma parte são homens e a outra mulheres. Vamos crescer em direcção a isso, foi que tu nos disseste,como as flores fazem dos prados aguarelas das cores mais incríveis que brilham ao Sol, da Primavera.
    É triste, sim Mac,é triste aquilo que referes, mas deixa lá, é mais bonito aquilo que aqui fizeste.
    Luís F. de A. Gomes

    ResponderEliminar
  13. adorei as flores levo comigo no coração por seres lindas como a nossa amizade.bjo

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

Mensagens populares deste blogue

8

Conceito de fim...



Ontem abri aleatoriamente as páginas de um livro, tinha um leve cheiro do teu perfume. Estremeci, a tua memória preencheu-me.

Por momentos esqueci as minhas noites solitárias, tantas noite em que chorei até pensar que já não teria nada dentro de mim, em que todo o sentimento, toda a dor, toda a perda, foram derramadas sobre a almofada, essa almofada a que me agarro nessas noites que parecem não terminar, essa almofada que acalma os pesadelos que teimosamente insistem em visitar-me. Sinto-me oca, vazia, de tanto chorar...A gata, que ocupou o teu lugar na cama, acorda muitas vezes comigo a gritar o teu nome, acorda comigo empapada em suor. Coitada da bichana, mia baixinho junto do meu ouvido, numa tentativa de me reconfortar, o que até resulta, mas os pesadelos da tua ausência são uma visita constante.

Às vezes penso se estes pesadelos não serão a minha consciência a gritar de culpa. Cheguei a desejar a tua morte, sabias? Houve uma altura em que me fartei de correr para…

7

Era uma porta enferrujada. E ela entrou.

O autocarro partiu e a porta atrás dela se fechou.
Carregada de sacos onde cabiam os sonhos que o mundo apagou,
Só pensava em fugir de uma vida sacrificada, na rotina de vida em que tombou.
Saiu de casa com os seus sacos mal o dia madrugou,
Regressa a casa com os seus sacos já a noite se fechou,
Sempre com os seus sacos, mais um dia que acabou.
Carrega uma vida nas pernas que o mundo desengonçou,
As mãos grosseiras, a pele acabada, de tanta casa que limpou.
Quando chega a casa ainda vai cuidar da filha que gerou,
A sopa num ápice tragou,
Enquanto a filha o peito mamou,
Mas de tão cansada nem a própria casa arrumou.
Chega o marido, traste, bêbado, canalha, bate-lhe e ela nem notou,
Mais um dia que se passou.
Deitou-se dorida e sonhou,
Sonhou com uma porta enferrujada que sobre ela se fechou
Ali, com uma pedra com o seu nome ela se deparou
E ela finalmente descansou...