Avançar para o conteúdo principal

Improviso

Photographed by Mac

As escadas de madeira iam dar a uma cave pequena, dominada pelo fumo das longas cigarrilhas. No palco, estavam lá todos: o sax, o piano, o contrabaixo...os músicos, cumplices, iniciavam uma louca jam session, arrancando acordes improvisados aos instrumentos, que rodopiavam nas suas mãos e faziam rodopiar a plateia. Até os gatos saltavam pela escada na ânsia de se juntar àquela loucura...

Este é o meu Improviso. Para ver mais Improvisos ir a Palavra Puxa Palavra.

Comentários

  1. Esse cenário que descreves é simplesmente fantástico. É real? Boa semana ;)

    ResponderEliminar
  2. Quem me dera que fosse. Um dia gostaria de ir a Nova Orleães para experimentar esse cenário...

    ResponderEliminar
  3. Gostei, sentimental e bela qb! Novos mundos se procuram, aqui ou juntando saberes. De cada vez que defenderes uma árvore, mesmo que seja com a tua vizinha...Algo há-de surgir de tanta vontade! Bjinho

    ResponderEliminar
  4. Olá, parece mt acolhedor esse "improviso"... cheio de música e de vida... bj

    ResponderEliminar
  5. Gostei muito como, no improviso, os instrumentos ganham vida. Parece que para além dos músicos, os instrumentos também são humanos. Fantástico.

    PS: Adorei a música "J.L.Hooker& BB King - Get off my back woman"

    ResponderEliminar
  6. Adorei a foto e o texto completa-a perfeitamente. Lindo. **

    ResponderEliminar
  7. Só falta a Billie Holiday, que saudades...bjs

    ResponderEliminar
  8. ...saber improvisar é essencial na música, mas também na vida!
    Abraços

    ResponderEliminar
  9. Cenário improvidado,em que a esência da música dá brilho a uma cave sombria pelas ondas do fumo...

    Bom fim de semana

    Bjs Zita

    ResponderEliminar
  10. Improvisos... na cave do Hot Clube na Praça da Alegria... sim... parece-me bem... adoro e tenho saudades!!

    Sorry pela ausência... tem sido complicado!! Mas aqui estou de volta para ler as tuas coisas... que me parecem muito bem!!!! :D

    ResponderEliminar
  11. Passei aqui pela primeira vez, segundo penso. E gostei.
    Desejo uma bos semana.
    Beijinhos

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

Mensagens populares deste blogue

8

Conceito de fim...



Ontem abri aleatoriamente as páginas de um livro, tinha um leve cheiro do teu perfume. Estremeci, a tua memória preencheu-me.

Por momentos esqueci as minhas noites solitárias, tantas noite em que chorei até pensar que já não teria nada dentro de mim, em que todo o sentimento, toda a dor, toda a perda, foram derramadas sobre a almofada, essa almofada a que me agarro nessas noites que parecem não terminar, essa almofada que acalma os pesadelos que teimosamente insistem em visitar-me. Sinto-me oca, vazia, de tanto chorar...A gata, que ocupou o teu lugar na cama, acorda muitas vezes comigo a gritar o teu nome, acorda comigo empapada em suor. Coitada da bichana, mia baixinho junto do meu ouvido, numa tentativa de me reconfortar, o que até resulta, mas os pesadelos da tua ausência são uma visita constante.

Às vezes penso se estes pesadelos não serão a minha consciência a gritar de culpa. Cheguei a desejar a tua morte, sabias? Houve uma altura em que me fartei de correr para…

7

Era uma porta enferrujada. E ela entrou.

O autocarro partiu e a porta atrás dela se fechou.
Carregada de sacos onde cabiam os sonhos que o mundo apagou,
Só pensava em fugir de uma vida sacrificada, na rotina de vida em que tombou.
Saiu de casa com os seus sacos mal o dia madrugou,
Regressa a casa com os seus sacos já a noite se fechou,
Sempre com os seus sacos, mais um dia que acabou.
Carrega uma vida nas pernas que o mundo desengonçou,
As mãos grosseiras, a pele acabada, de tanta casa que limpou.
Quando chega a casa ainda vai cuidar da filha que gerou,
A sopa num ápice tragou,
Enquanto a filha o peito mamou,
Mas de tão cansada nem a própria casa arrumou.
Chega o marido, traste, bêbado, canalha, bate-lhe e ela nem notou,
Mais um dia que se passou.
Deitou-se dorida e sonhou,
Sonhou com uma porta enferrujada que sobre ela se fechou
Ali, com uma pedra com o seu nome ela se deparou
E ela finalmente descansou...