Avançar para o conteúdo principal

Saturno







Fotos retiradas de http://www.nasa.gov
Na semana passada, a sonda Cassini tirou estas fotografias, nunca antes capturadas de Saturno e dos seus anéis. É nestas alturas que apetece repetir um dos sonhos de miúda, "Quando for grande quero ser astronauta".

Comentários

  1. Ola Mac:)
    Olha lembrei-me agora ih hi...
    Quando for grande quero que a minha namorada seja também tão grande que no dedo só lhe caiba um anel de saturno lol
    ups... sorry:):):)

    ResponderEliminar
  2. Eh, Eh...resta saber se depois tinhas pedalada para ela. ;-)

    ResponderEliminar
  3. Secreta15:07

    Com estas imagens , é fácil de entender o porquê desse teu sonho ... :)

    ResponderEliminar
  4. O desconhecido fascina-me desde sempre e também eu tinha esse sonho, esfumado na realidade aqui deste canto à beira-mar plantado. É incrivel como os nossos horizontes se estão a abrir e a alargar...mas só lá em cima, porque cá em baixo continuam os mesmos limitadores a reinar. Boa semana para ti ;)

    ResponderEliminar
  5. Lindas imagens. Fazem-nos sonhar... :)**

    ResponderEliminar
  6. sempre achei Saturno mt erótico, sabe-se lá onde fui buscar esta associaçao :)

    boa semana

    ResponderEliminar
  7. Gala, eu também, piada. Deve ser a corte que os anéis lhe, eternamente, fazem! Mac...são lindérrimas e chiquérrimas ..agora a sério, sempre me lembram sorvete espacial...

    ResponderEliminar
  8. são fantasticas lol.bjokas

    ResponderEliminar
  9. Quando era miúdo também tinha esse sonho ;) Agora...contento-me com as fotos, com os sonhos e com a música:)

    ResponderEliminar
  10. Erótico Gala? Ui o que vai por aí...Também sempre achei piada a este planeta, se calhar por ser diferente dos outros.

    ResponderEliminar
  11. Impressionantes as fotos! Eu tb gostava de ter sido astronauta! Mas com as minhas fobias, provavelmente não me aguentava mais de um dia no espaço! :-D

    ResponderEliminar
  12. Quando fores grande avisa, pode ser que eu ganhe alguma viagem à borla
    :)

    ResponderEliminar
  13. Quem não gostaria de ser astronauta e viajar pelo espaço. Mas a verdade é que a conquista espacial pode muito bem substituir a guerra enquanto fonte de negócios e de inovação científica e tecnológica. Era esta uma utopia do saudoso Carl Sagan, de boa memória.
    Bom Domingo, Mac
    Luís F. de A. Gomes

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

Mensagens populares deste blogue

8

Conceito de fim...



Ontem abri aleatoriamente as páginas de um livro, tinha um leve cheiro do teu perfume. Estremeci, a tua memória preencheu-me.

Por momentos esqueci as minhas noites solitárias, tantas noite em que chorei até pensar que já não teria nada dentro de mim, em que todo o sentimento, toda a dor, toda a perda, foram derramadas sobre a almofada, essa almofada a que me agarro nessas noites que parecem não terminar, essa almofada que acalma os pesadelos que teimosamente insistem em visitar-me. Sinto-me oca, vazia, de tanto chorar...A gata, que ocupou o teu lugar na cama, acorda muitas vezes comigo a gritar o teu nome, acorda comigo empapada em suor. Coitada da bichana, mia baixinho junto do meu ouvido, numa tentativa de me reconfortar, o que até resulta, mas os pesadelos da tua ausência são uma visita constante.

Às vezes penso se estes pesadelos não serão a minha consciência a gritar de culpa. Cheguei a desejar a tua morte, sabias? Houve uma altura em que me fartei de correr para…

7

Era uma porta enferrujada. E ela entrou.

O autocarro partiu e a porta atrás dela se fechou.
Carregada de sacos onde cabiam os sonhos que o mundo apagou,
Só pensava em fugir de uma vida sacrificada, na rotina de vida em que tombou.
Saiu de casa com os seus sacos mal o dia madrugou,
Regressa a casa com os seus sacos já a noite se fechou,
Sempre com os seus sacos, mais um dia que acabou.
Carrega uma vida nas pernas que o mundo desengonçou,
As mãos grosseiras, a pele acabada, de tanta casa que limpou.
Quando chega a casa ainda vai cuidar da filha que gerou,
A sopa num ápice tragou,
Enquanto a filha o peito mamou,
Mas de tão cansada nem a própria casa arrumou.
Chega o marido, traste, bêbado, canalha, bate-lhe e ela nem notou,
Mais um dia que se passou.
Deitou-se dorida e sonhou,
Sonhou com uma porta enferrujada que sobre ela se fechou
Ali, com uma pedra com o seu nome ela se deparou
E ela finalmente descansou...