Avançar para o conteúdo principal

Change

Uma nova etapa da vida abre-se à minha frente...algo por que ansiava há já algum tempo. O curioso é que quando a noticia caiu-me no colo, fiquei assustada e um pouco apreensiva...Afinal é uma mudança e uma situação completamente nova.
Não é curioso? Algo a que se almejava torna-se realidade e a primeira reacção é entrar em pânico...

Comentários

  1. Eu acho que é normal. Por vezes desejamos tanto algo que quando esse algo se realiza ficamos com medo não com a concretização mas sim com o possível desaparecimento :s
    Beijos e boa semana

    ResponderEliminar
  2. Não te preocupes, esse "panico" rapidamente desaparecera e a satisfação segura do que se almejou dará lugar.
    Abraço!

    ResponderEliminar
  3. Normal, tens é que avançar e agarrares com força a oportunidade.

    ResponderEliminar
  4. Por coincidência, coincidente, o meu filho, que andava aos achados e caídos, foi chamado para Inglaterra.
    Sai a 3 de Fevereiro e começa a 4.
    É médico dentis, e vai integrar o serviço nacional de saúde inglês.
    As condições são como cá.
    Dão-lhe de adiantamento 20.000 libras, fica hospedado numa pousada hotel em ... em ... perto de Manchester.
    Vão ao permenor de lhe esmiuçarem o que pode vestir em determinados dias, fato, jeans, um termo inglês, que suponho ser tipo desportivo, mas o meu inglês é fraquinho, quanto custam as refeições à quarta e quinta, dias em que tem que pagar a alimentação se não quizer comer sempre de borla no hospital.

    Quando li o documento, até fiquei banzado ... nem queria acreditar que me tinha saído o Euromilhões, a mim e à minha mulher ...
    Não é ver-me livre dele.
    A malta nova, desaprendeu, (ou nunca ligou nada ao que se lhe tentou incutir)) de trabalhar e ajudar nas tarefas mais simples.

    Vai ganhar razoavelmente bem e só não tem dois criados que aqui tinha. O pai e a mãe!

    Todos, (os que estão no activo, aspiram a melhores lugares), como todo o ser normal, sonham ... ás vezes acerta-se no Totoloto.
    Agarre-se a oportunidade e nada de pãnico. Este normalmente não tem base de sustentação.
    O pilar princípal é o nosso trabalho e empenho ...
    FORÇA E QUE O 2008 SEJA UM ACESSO AO SUCESSO!

    ResponderEliminar
  5. Lá sairam uns erros, porque como nunca me engano, não leio os testos antes de colocá-los no correio.
    É dentista, por sinal com especialização em cirurgia moxo-facial.
    Em "trocados", é como aqui no SNS, cerca de 12.500 libras, ou seja cerca de 8500 euros ...

    Não se esqueça.
    Quem não se arrisca, está sempre sujeito a ir ao fundo com o barco.

    ResponderEliminar
  6. Há quem diga:"quem não arrisca não petisca"; Outros dizem: "Quem muda, Deus ajuda"; Eu prefiro: "Porque esperas? Vai demorar muito? É já a seguir!!!"

    Força!!!! Começar o Ano com novas etapas, acho fantástico!

    ResponderEliminar
  7. Afinal quanto mais me corrijo mais me enterro em erros ...

    Não sei mais ...

    ResponderEliminar
  8. Hoje necessito de ajuda, para concertar ideias sobre este atentado à nossa, PORTUGUESA, aversão.
    Está aqui:
    http://belgiumtugadois.blogspot.com

    ResponderEliminar
  9. Hoje necessito de ajuda, para concertar ideias sobre este atentado à nossa, PORTUGUESA, aversão.
    Está aqui:
    http://belgiumtugadois.blogspot.com

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

Mensagens populares deste blogue

8

Conceito de fim...



Ontem abri aleatoriamente as páginas de um livro, tinha um leve cheiro do teu perfume. Estremeci, a tua memória preencheu-me.

Por momentos esqueci as minhas noites solitárias, tantas noite em que chorei até pensar que já não teria nada dentro de mim, em que todo o sentimento, toda a dor, toda a perda, foram derramadas sobre a almofada, essa almofada a que me agarro nessas noites que parecem não terminar, essa almofada que acalma os pesadelos que teimosamente insistem em visitar-me. Sinto-me oca, vazia, de tanto chorar...A gata, que ocupou o teu lugar na cama, acorda muitas vezes comigo a gritar o teu nome, acorda comigo empapada em suor. Coitada da bichana, mia baixinho junto do meu ouvido, numa tentativa de me reconfortar, o que até resulta, mas os pesadelos da tua ausência são uma visita constante.

Às vezes penso se estes pesadelos não serão a minha consciência a gritar de culpa. Cheguei a desejar a tua morte, sabias? Houve uma altura em que me fartei de correr para…

7

Era uma porta enferrujada. E ela entrou.

O autocarro partiu e a porta atrás dela se fechou.
Carregada de sacos onde cabiam os sonhos que o mundo apagou,
Só pensava em fugir de uma vida sacrificada, na rotina de vida em que tombou.
Saiu de casa com os seus sacos mal o dia madrugou,
Regressa a casa com os seus sacos já a noite se fechou,
Sempre com os seus sacos, mais um dia que acabou.
Carrega uma vida nas pernas que o mundo desengonçou,
As mãos grosseiras, a pele acabada, de tanta casa que limpou.
Quando chega a casa ainda vai cuidar da filha que gerou,
A sopa num ápice tragou,
Enquanto a filha o peito mamou,
Mas de tão cansada nem a própria casa arrumou.
Chega o marido, traste, bêbado, canalha, bate-lhe e ela nem notou,
Mais um dia que se passou.
Deitou-se dorida e sonhou,
Sonhou com uma porta enferrujada que sobre ela se fechou
Ali, com uma pedra com o seu nome ela se deparou
E ela finalmente descansou...