Avançar para o conteúdo principal

Hot Hot



Tem estado uns dias de calor abrasador. 1 pessoa sai de carro e mete-se no carro...se tivermos a sorte de ter o carro na garagem, ainda o apanhamos com 1 temperatura agradável; caso o carro tenha de ficar na rua, temos de aguentar o forno insuportável que reina dentro do coche. E lá vamos à nossa vida...em breve apanhamos o pára-arranca, e mais calor ainda. É nestas alturas em que penso "Porquê que não tenho 1 ar condicionado", e ainda por cima a música na rádio não ajuda a passar o tempo, e ainda por cima aparecem-me todos os condutores de Domingo a atrasar-me o caminho. E este calor que não passa...
A garrafa de água é a nossa melhor amiga, e levamos sempre uma connosco. O pior depois, são as idas à casa de banho, e WC's no meio da rua (ou nos cafés) é coisa que nem vale a pena comentar o seu estado.
Estamos sempre descontentes: no Inverno, queremos ver 1 bocadinho de sol, de modo a distrair-nos de todo aquele cinzento; no Verão queremos 1 bocadinho de chuva para aliviar o calor.

Comentários

  1. é a natureza humana, nunca estar bem com o que se está.

    boa semana

    ResponderEliminar
  2. Adoro o calor :D Chuva só mesmo quando estou em casa!

    ResponderEliminar
  3. Eu estive este fim de semana em estremoz no "monte" de um tio. No sabado durante o almoço fui ver a temperatura num termometro à sombra que lá está e marcava 41 graus e pensei estou literalmente com febre com esta temperatura, o meu tio pegou no termometro e colocou-o no pátio ao sol e o mesmo saltou para...60 GRAUS!!!e eu pensei agora estou mesmo a arder no inferno:)

    ResponderEliminar
  4. Aqui não está frio nem calor nem chuva! A única coisa que temos para a troca é tédio!! És servido? :P

    bj

    ResponderEliminar
  5. É caso para dizer que nunca estamos bem...mas compreendo-te.

    Sou daqueles "sortudos" que possuem ar condicionado na viatura. Depois de ter "provado" a primeira vez não quero outra. Passo bem sem música (no carro), sem jantes especiais, assentos de cabedal e outras mordomias (luxos), mas do ar condicionado é que não!!! No inverno ou no verão é uma delícia ;)

    ResponderEliminar
  6. Gala22:08

    e como dizia o outro life is a bitch ou life is a beach

    beijo*

    ResponderEliminar
  7. Estamos é generalizar, quanto mais calor mais eu gosto...nunca reclamo desse mal, deve ter relação com as minhas raízes!
    No carro dispenso tudo...menos o recente GPS, é fixe fingir que tenho sentido de orientação:))

    ResponderEliminar
  8. É por isso que gosto de estações intermédias como a Primavera e o Outono. :D Temperaturas mais ou menos amenas.

    Mudei o endereço do meu blog e o seu nome também:

    www.morfina-anny.blogspot.com

    Um beijo Mac*

    ResponderEliminar
  9. tens razao amiga - obrigada pelo email
    beijo

    ResponderEliminar
  10. eu adoro o calor..mas a praia no outono..e o ar condicionado no inverno..e o carro no verão ;)

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

Mensagens populares deste blogue

8

Conceito de fim...



Ontem abri aleatoriamente as páginas de um livro, tinha um leve cheiro do teu perfume. Estremeci, a tua memória preencheu-me.

Por momentos esqueci as minhas noites solitárias, tantas noite em que chorei até pensar que já não teria nada dentro de mim, em que todo o sentimento, toda a dor, toda a perda, foram derramadas sobre a almofada, essa almofada a que me agarro nessas noites que parecem não terminar, essa almofada que acalma os pesadelos que teimosamente insistem em visitar-me. Sinto-me oca, vazia, de tanto chorar...A gata, que ocupou o teu lugar na cama, acorda muitas vezes comigo a gritar o teu nome, acorda comigo empapada em suor. Coitada da bichana, mia baixinho junto do meu ouvido, numa tentativa de me reconfortar, o que até resulta, mas os pesadelos da tua ausência são uma visita constante.

Às vezes penso se estes pesadelos não serão a minha consciência a gritar de culpa. Cheguei a desejar a tua morte, sabias? Houve uma altura em que me fartei de correr para…

7

Era uma porta enferrujada. E ela entrou.

O autocarro partiu e a porta atrás dela se fechou.
Carregada de sacos onde cabiam os sonhos que o mundo apagou,
Só pensava em fugir de uma vida sacrificada, na rotina de vida em que tombou.
Saiu de casa com os seus sacos mal o dia madrugou,
Regressa a casa com os seus sacos já a noite se fechou,
Sempre com os seus sacos, mais um dia que acabou.
Carrega uma vida nas pernas que o mundo desengonçou,
As mãos grosseiras, a pele acabada, de tanta casa que limpou.
Quando chega a casa ainda vai cuidar da filha que gerou,
A sopa num ápice tragou,
Enquanto a filha o peito mamou,
Mas de tão cansada nem a própria casa arrumou.
Chega o marido, traste, bêbado, canalha, bate-lhe e ela nem notou,
Mais um dia que se passou.
Deitou-se dorida e sonhou,
Sonhou com uma porta enferrujada que sobre ela se fechou
Ali, com uma pedra com o seu nome ela se deparou
E ela finalmente descansou...