domingo, 9 de dezembro de 2007

Confiança I

A palavra escolhida esta semana no Palavra Puxa Palavra foi "Confiança" (para quem não sabe, trata-se dum blog onde todas as semanas há um tema/palavra, e o pessoal envia um foto a retratá-la). A sua autora deixou-nos no mail um comentário que me levou a escrever este post: é que a maior parte das fotos que ilustra a palavra "Confiança", trata-se de fotos de animais.

E é esta a curiosidade da coisa...Será que confiamos assim tão pouco nos humanos? Confiamos nós mais nos animais? O que nos leva a ser reticentes em relação aos outros?

6 comentários:

  1. Bom Dia. Da maneira como a vida corre, é normal que cada vez mais deixemos de confiar nos outros. Talvez pelos atropelos uns com outros , na estrada, pela vida. Não quero dizer que não confiemos nos nossos amigos, ou nos nossos familiares. Mas quando precisamos os verdadeiros amigos revelam-se e aí podemos dizer que é de confiança. Mas a outra confiança, a dos animais? Essa é sem duvida a maior delas. Os animais são seres irracionais, mas cada vez tenho a sensação que posso confiar no meu cão, pois pode não falar comigo, mas está sempre ali ao nosso lado; afinal é considerado o nosso melhor amigo. Pelo menos o meu. Acompanha-me para todo o lado, não me aborrece, é sempre afável, enfim, etc. se eles são maus? É natural pela natureza deles. A Nossa? É cada vez mais atropelar o outro e se calhar alguns de nós gostamos de fazer mal aos outros. Não é a nossa natureza, mas a nossa forma de estar com os outros.

    ResponderEliminar
  2. A nossa falta de confiança nos outros começará na nossa própria falta de confiança em nós próprios? Talvez... mas o mundo, tal como está, também não ajuda nada.

    ResponderEliminar
  3. Eu já tive uma alma mais aberta que hoje em dia. Eu já tive um coração maior, mas as pessoas não revelaram-se tão amigas como as julguei, e já apanhei algumas decepções. E fiquei muito chateada...chateada comigo mesma por ter sido tão burra e tão confiante. Resultado: hoje, tenho algumas reticências em aproximar-me verdadeiramente das pessoas, dou 2 passos atrás antes de dar 1 em frente. Concordo com o Sérgio: os animais são os únicos que não nos decepcionam e os únicos que não têm falsidade.

    ResponderEliminar
  4. Nem li os comentários, nem vi o "original".
    Eu acredito piamente nos animais!
    Veja-se o caso dum untuoso e lustroso (este último termo, em versão brasileira) animal de quatro patas, duas sobre-erguidas, para o confundirmos com um ser humano, que se farta de bramir no meio do mar.
    É por isso (que TODAS AS MULHERES me perdoem, A MINHA, há 34 anos que me perdoa, não as palavras, que são meros símbolos, mas os actos) que dizem que as mulheres são meros papagaios.
    Esta "avis" rara, não tem a epiglote, daí o termos que retirar do reino animal racional ...
    mas que é um animal, ninguém o duvide.

    ResponderEliminar
  5. Eu acho que são boas perguntas mas sinceramente não sei o que dizer. Acho que a única coisa em que podemos confiar é a morte (ok, pode ser mórbido mas é a única coisa que é certa). Os seres humanos são imprevisíveis e é por isso que a confiança total nem sempre é fácil e só poucos a merecem (ou ainda não foram testados ao limite).
    Beijos

    ResponderEliminar
  6. pedro alex17:33

    Ois Mac:)
    Já tive muita bicharada irracional, e racional também.
    A confiar, prefiro os racionais, homens ou mulheres, tanto faz, ainda confio nesses bichos.
    Beijocas

    ResponderEliminar

The summer is gone III