segunda-feira, 17 de março de 2008

Tejo

Por veto presidencial, a zona ribeirinha de Lisboa vai continuar nas mãos da Administração do Porto de Lisboa. Esta decisão, quanto a mim, é um pau de dois bicos. Se, por um lado, evita a especulação imobiliária nesta zona da cidade, e a proliferação de "mamarrachos", por outro lado, é o continuar do divórcio entre a cidade e o seu rio.
Quem quer passar uns bons momentos à beira-rio, só o pode fazer no Parque das Nações, Docas e junto a Belém, de resto, tudo está interdito graças à extensão do porto.
Como é que uma cidade, que canta amiude o seu rio, vive de costas voltadas para o mesmo?

5 comentários:

  1. com sempre se fosse aprovado sem garantias de salvaguarda da zona, logo apareceria alguém atirar proveito da situação.

    ResponderEliminar
  2. Mas que dizes?… então, a gestão da zona ribeirinha, não tinha passado, em Janeiro último, para Câmara Municipal? Agora o Cavaco, obrigou a uma marcha à ré?
    Gaita… isto dos gasolineiros tem muito que se diga. Tenho que ir ler mais alguma coisa sobre isso.

    Abraço.

    ResponderEliminar
  3. A zona ribeirinha de todas as cidades, está destinada á especulação imobiliária.
    Lisboa não fugirá á regra por muito tempo, apesar deste presidente de Câmara me merecer toda a consideração e respeito.
    Penso que com ele tal não sucederá!

    ResponderEliminar
  4. Passei mesmo só para desejar uma Santa Páscoa!

    Quanto à "cavaquice", falta mesmo saber o que se pretende alcançar com tal posição ...

    ResponderEliminar
  5. Um boa Páscoa para ti, e um grande abraço.

    ResponderEliminar

This used to be my playground