Avançar para o conteúdo principal

Iraque

Palavra Iraque, no Palavra Puxa Palavra

5 anos depois, há um misto de sensações ligadas a este país, e a sensação dominante é perplexidade e vergonha. Perplexidade, pela capacidade de manipularem a realidade, perpetuarem esse mentira, destruirem um país e milhares de vida, e ainda estarem a rir-se, fumando charutos acesos com dólares banhados de petróleo e sangue. Pode ser que daqui a 50 anos, ainda haja a moda de retratar-se por crimes cometidos, e os políticos da altura peçam desculpas à Humanidade por estes actos...

Vergonha, que é coisa que os governantes mundiais não têm...vergonha por a Europa ter sido cumplice neste crime contra a Humanidade; vergonha por nós Europeus, mais uma vez, não termos conseguido dizer "não" ao sr.Bush; vergonha por deixarmo-nos arrastar para toda esta hipocrisia...

E depois somos nós, Europa, que pagamos a factura das loucuras cometidas pelos outros...pagamos a factura da segurança, na forma de ameaças, na forma de fundamentalismos, na forma de matar a liberdade de expressão, na forma de matar o nosso modo de vida. E a tudo isto acenamos que sim, pois o politicamente correcto assim o ordena...

Iraque, Tibete, Darfur...palavras diferentes para uma hipocrisia igual...

Comentários

  1. ola mac
    traduziste na mouche a minha intançao quando escrevo fragmentos: ternura.
    parabens por teres abordado um assunto de peso.
    beijinhos

    ResponderEliminar
  2. Sabes que os países que digam não quer ao Sr. Bush quer a um outro qualquer presidente dos U.S.A., que se lembre de uma guerra, tá lixado para o resto da vida. O problema é que depois quer seja negativa ou positiva essa opção, já não há volta a dar. Pois eles fazem a vida negra aos representantes e habitantes dos respectivos países.

    ResponderEliminar
  3. A história é feita de hipocrisia. O presente é-o e futuro de certeza que o será.
    A humanidade não aprende com os erros que comete. Nada a fazer.

    ResponderEliminar
  4. ...interesses escusos...
    Abraços

    ResponderEliminar
  5. Espere um pouco no tempo.

    Li, (não me contaram), num diário espanhol, que, (aqui abro este parêntese, não fixo os nomes dos senhores da guerra americanos ou outros), como dizia, LI, que os EUA, enviaram alguém para dar apoio ao que se julga ser uma "punição exemplar ao Irão", por parte dos israelitas.
    Parece-me que estes se preparam, ou têm vindo a preparar, para atacar com mísseis, as centrais nucleares e as rampas de lançamento dos novos mísseis iranianos de longo alcance.
    Já estou a ver o início das filmagens.
    O cowboy bush, a dar uma mãozinha de ajuda ... ao amigo sionista.

    Será o início duma 3ª guerra mundial???

    ResponderEliminar
  6. é sem duvida mais simpatico! obrigado pelo rápido comentário!

    ResponderEliminar
  7. Assuntos diferentes, hipocrisia igual...mas ainda há quem acredite na história da "Libertação de Povos oprimidos". Por quem? Para quê? A custe de...?
    (também acredito que de vez em quando, convém arranjar uma "guerritas" para os "Libertadores/Defensores da Liberdade" possam despachar bombas obsoletas e que contaminam os respectivos paiois). E a prova disso, é que continuam a invadir/massacrar a opinião pública que um tal de "inimigo" público existe e que é preciso combater. Qualquer dia, o Mundo deixará de se dividir por Continentes...e não falta tanto como isso.

    ResponderEliminar
  8. essas guerras sao um nada que se traduziu em muita dor para muitas pessoas, demasiadas...

    ResponderEliminar
  9. Pior, é que para alem de ninguém parecer se arrepender ainda se sentem orgulhosos como o Sr. Bush.

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

Mensagens populares deste blogue

8

Conceito de fim...



Ontem abri aleatoriamente as páginas de um livro, tinha um leve cheiro do teu perfume. Estremeci, a tua memória preencheu-me.

Por momentos esqueci as minhas noites solitárias, tantas noite em que chorei até pensar que já não teria nada dentro de mim, em que todo o sentimento, toda a dor, toda a perda, foram derramadas sobre a almofada, essa almofada a que me agarro nessas noites que parecem não terminar, essa almofada que acalma os pesadelos que teimosamente insistem em visitar-me. Sinto-me oca, vazia, de tanto chorar...A gata, que ocupou o teu lugar na cama, acorda muitas vezes comigo a gritar o teu nome, acorda comigo empapada em suor. Coitada da bichana, mia baixinho junto do meu ouvido, numa tentativa de me reconfortar, o que até resulta, mas os pesadelos da tua ausência são uma visita constante.

Às vezes penso se estes pesadelos não serão a minha consciência a gritar de culpa. Cheguei a desejar a tua morte, sabias? Houve uma altura em que me fartei de correr para…

7

Era uma porta enferrujada. E ela entrou.

O autocarro partiu e a porta atrás dela se fechou.
Carregada de sacos onde cabiam os sonhos que o mundo apagou,
Só pensava em fugir de uma vida sacrificada, na rotina de vida em que tombou.
Saiu de casa com os seus sacos mal o dia madrugou,
Regressa a casa com os seus sacos já a noite se fechou,
Sempre com os seus sacos, mais um dia que acabou.
Carrega uma vida nas pernas que o mundo desengonçou,
As mãos grosseiras, a pele acabada, de tanta casa que limpou.
Quando chega a casa ainda vai cuidar da filha que gerou,
A sopa num ápice tragou,
Enquanto a filha o peito mamou,
Mas de tão cansada nem a própria casa arrumou.
Chega o marido, traste, bêbado, canalha, bate-lhe e ela nem notou,
Mais um dia que se passou.
Deitou-se dorida e sonhou,
Sonhou com uma porta enferrujada que sobre ela se fechou
Ali, com uma pedra com o seu nome ela se deparou
E ela finalmente descansou...