sábado, 26 de abril de 2008

25 de Abril - Ressaca

O Poder Local Democrático constitui uma das maiores conquistas de Abril, que poderia contribuiria para a modernização e o desenvolvimento local e regional.
Em vez disso, vemos os políticos servirem-se desta grande conquista para arranjar tachos para os seus amiguinhos, o interesse público a ser usado para as negociatas ligadas ao imobiliário, os dinheiros dos contribuintes a serem gastos em coisas que não fazem a mínima falta, em subsídios para os clubes de futebol, a corrupção a alastrar...
A liberdade chegou, mas à boa maneira dos tugas, os políticos não souberam o que fazer com ela e usaram-na para o mal...

5 comentários:

  1. Usaram-na para o mal do povo e para o bem pessoal, esta o que temos e a imagem que nos passam.

    ResponderEliminar
  2. Não podias estar mais certa, infelizmente. Esqueceste-te só de dizer que muitas dessas falcatruas são feitas devido ao endividamento público...

    Quanto aos tachos não duvides: Esta foi também a revolução dos cravas...

    ResponderEliminar
  3. Boas.Já falamos muito sobre isto, e sabes já qual a minha opinião. Acho bem que se tenha feito uma revolução, mas não com cravos na lapela, não com cravos no cano da espingarda. Deveria ter-se feito sim uma guerra civil, daquelas com tiros a sério. Talvez aí se limpasse a gorcha de políticos corruptos que nos governam e que na altura já lá se encontravam sedentos de poder e dinheiro. Mas enquanto isso não acontecer, temos que penar muito.

    ResponderEliminar
  4. Vem mesmo a calhar a música do Gabriel o Pensador - "Até Quando?"

    ResponderEliminar
  5. Não se iludam ... os novos são mais sanguinários.

    Não escondo em quem votei, PS.
    Os novos que se perfilam, são piores que os que vão partindo, quer do PS, quer do PSD, ou CDS, onde tenho filhos, sobrinhos e afilhados de quem já foi alguém SÓ NO PEDESTAL e para roubar.
    Ás vezes digo e escrevo coisas que não posso demonstrar, mas veja-se de Norte a Sul a quantidade de Autarcas que foram, estão ou vão ser julgados por crimes de lesa cidadão, chamem-lhe peculato ou outro nome.
    O ser que os praticou é e será sempre um ladrão, mesmo absolvido por um qualquer juiz que o poder político corrompeu por tudo o que é sítio.
    Aqui, nestas matérias não há partidos ... há o amparar de uns aos outros em situações flagrantes de esbulho da coisa comum.

    ResponderEliminar

This used to be my playground