Avançar para o conteúdo principal

TVG...Para quê?

TGV: viagem Lisboa-Madrid irá custar em média 100 euros

Viagem Porto-Madrid pela Ryanair custa em média 10 euros.

Comentários

  1. Embora sendo contra o TGV, com a velocidade que os combustiveis sobem, se calhar quando o TGV estiver pronto de avião ou de TGV será o mesmo preço.

    ResponderEliminar
  2. Ois Mac:)
    Nesta altura do campeonato balanço-me quanto ao TGV mesmo sabendo que a grande fatia dos custos são suportados por fundos estruturais da ue e por particulares.
    Mas... enfim... algo de cruel em mim desequilibra-me para o sim ao kumboio.

    ResponderEliminar
  3. como quem pode manda e paga (a obra e os bilhetes) com o nosso dinheiro, não se interessam com isso, vai daí aumentarão as taxas porque isto de termos bilhetes a 10 euros tem que acabar, ainda para mais que são uns gajos da irlanda que estão a ganhar dinheiro e nao os nossos "empresários".

    ResponderEliminar
  4. TGV? Só depois de ver resolvidos alguns problemas...coisas pequenas...saúde, rede escolar, saneamento básico, cuidados paliativos, enfim...coisas básicas no desenvolvimento de um País, adormecido ao som dos Euros...de futebol.

    Boa semana ;)

    ResponderEliminar
  5. E quem é que ganha a diferença?
    Um dia destes vêm dizer-nos que é o POVO PORTUGUÊS!

    ResponderEliminar
  6. Se os viajantes forem como eu, irão de TGV.
    É mais caro, mas os meus pais se quisessem que eu voasse tinham-me feito com asas.
    Assim, só ando rasteiro e o que tenho perdido.
    Vingo-me quando morrer, não quero ir para a cova, quero ser cremado!

    E para que serve o TGV, Porto-Lisboa, para se poupar 20 minutos de gastar quase o dobro em dinheiro.
    Podemos esbanjar ... somos um país pequeno e é fácil controlar todos para contribuirem.
    Um bom feriado

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

Mensagens populares deste blogue

8

Conceito de fim...



Ontem abri aleatoriamente as páginas de um livro, tinha um leve cheiro do teu perfume. Estremeci, a tua memória preencheu-me.

Por momentos esqueci as minhas noites solitárias, tantas noite em que chorei até pensar que já não teria nada dentro de mim, em que todo o sentimento, toda a dor, toda a perda, foram derramadas sobre a almofada, essa almofada a que me agarro nessas noites que parecem não terminar, essa almofada que acalma os pesadelos que teimosamente insistem em visitar-me. Sinto-me oca, vazia, de tanto chorar...A gata, que ocupou o teu lugar na cama, acorda muitas vezes comigo a gritar o teu nome, acorda comigo empapada em suor. Coitada da bichana, mia baixinho junto do meu ouvido, numa tentativa de me reconfortar, o que até resulta, mas os pesadelos da tua ausência são uma visita constante.

Às vezes penso se estes pesadelos não serão a minha consciência a gritar de culpa. Cheguei a desejar a tua morte, sabias? Houve uma altura em que me fartei de correr para…

7

Era uma porta enferrujada. E ela entrou.

O autocarro partiu e a porta atrás dela se fechou.
Carregada de sacos onde cabiam os sonhos que o mundo apagou,
Só pensava em fugir de uma vida sacrificada, na rotina de vida em que tombou.
Saiu de casa com os seus sacos mal o dia madrugou,
Regressa a casa com os seus sacos já a noite se fechou,
Sempre com os seus sacos, mais um dia que acabou.
Carrega uma vida nas pernas que o mundo desengonçou,
As mãos grosseiras, a pele acabada, de tanta casa que limpou.
Quando chega a casa ainda vai cuidar da filha que gerou,
A sopa num ápice tragou,
Enquanto a filha o peito mamou,
Mas de tão cansada nem a própria casa arrumou.
Chega o marido, traste, bêbado, canalha, bate-lhe e ela nem notou,
Mais um dia que se passou.
Deitou-se dorida e sonhou,
Sonhou com uma porta enferrujada que sobre ela se fechou
Ali, com uma pedra com o seu nome ela se deparou
E ela finalmente descansou...