sexta-feira, 25 de julho de 2008

Livro d'o Jogo das Palavras


Pois é, o JOGO das 12 PALAVRAS, iniciativa do Eremitério, vai ser transformado em livro, e esta vai ser a sua capa...
O lançamento está previsto para Novembro, a pensar numa prenda diferente para oferecer ao pessoal.

"Quem quiser reservar - pode fazê-lo desde já para a editora: ediumeditores@gmail.com
Site da Editora: ediumeditores.blogspot.com.
Preço de capa: 13,00€ (cerca de 185/190 páginas)- quem reservar e pagar desde logo - informar-se com o editor sobre forma de pagamento - receberá por correio o nº de exemplares pretendidos, sem portes
." (informação cedida pela TMara, companheira destas andanças em volta das palavras).
Portanto, já sabem, toca a reservar e passar a informação!!



9 comentários:

  1. - Todos os dias compro chapéus para o Sol, quando há dois dias que chove e parece que se vai manter ... e ainda bem !
    - Champô para o cabelo, quando o uso curtinho, que por ser muito me chateia!
    - Pensos higiénicos, exteriores e interiores, quando por cá, apesar de ainda haver vida e desoras, (é quando apetece" - QUE BOM!!!), não sei que fazer-lhes.
    - Tenho uma "barraca" em Cortes, Monção, junto ao rio, onde tenho centenas de livros enlatados, desculpem, encaixotados
    - Com doze palavras, dificilmente se conquista uma VERDADEIRA mulher, quanto mais se escreve um livro.

    - Sempre houve e haverá predestinados.
    sei de poetas que não conseguem editar o seu livro e é de alta qualidade ... não, não sou eu o crítico, é quem sabe.
    Só é pena que esteja reformado ...
    - Não sou um bom veículo de propagação ... é por isso que as doenças quando derem comigo ... embarco logo!

    Tenho que escrever o que me vai na alma ... disse alma?
    talvez esteja confundido com as palavras do "pastor alemão" ,
    Ratzinger, em Sy(i(dney

    Um dia haverá luz para todos!!!

    ResponderEliminar
  2. Havia no meu tempo de infância o programa dos Marretas, o qual eu seguia religiosamente, e havia por lá 2 personagens bastante interessantes: a dupla de velhotes que do alto da sua sabedoria criticavam tudo e mais alguma coisa que se passava cá em baixo...

    Quanto a poetas não conseguirem editar os seus livros: trabalhem para isso. Sem trabalho nada se consegue, e para esta ideia do livro muito contribuiu o esforço e dedicação e muitas horas perdidas de meia dúzia de pessoas. Se se ficar à sombra da bananeira à espera que alguém bata à porta, nada se consegue...

    Pronto, já defendi a minha/nossa dama...

    ResponderEliminar
  3. Um livro é e será sempre uma excelente prenda. Agradeço a sugestão e vou estar atento ao lançamento, pois autografado é muito mais "giro" :))))))))

    ResponderEliminar
  4. vai bombar!!!

    PODEROSO!!


    abraço

    :-)

    ResponderEliminar
  5. E foi bem defendida ...
    Havia, porque não sei se ainda há sobreiros e azinheiras que as dêm ... as bolotas.
    Escrevia eu, que antigamente havia, (h)ouve ou haveu um ditado, que dizia, "que quem quer bolota, trapa!"

    Daí à publicação do livro ser facílimo ...

    Um LIVRO, só tem uma dificuldade ... escrevemo-lo, subsídiamo-lo, publicitamo-lo, promovemo-lo, distribuímo-lo e recebemos a miséria que nos dá a editora.

    Quem é que fica com o suor alheio?

    Mas a cultura neste país é para os ricos e para os que os vendem, ás resmas, ás carradas, ás dúzias, ás grosas, ao quilo, aos alunos ou aos pais, quase obrigatoriamente, montões de livros no início dos anos escolares num ciclo infernal que, ano após ano, mesmo em matérias mutáveis ... mudam-se só as cores.

    EU VOU COMPRAR O LIVRO ...

    Mesmo que não valesse nada, (ISTO NÃO É UMA CRÍTICA !!! que fique bem vincado!), um pedido é um pedido ... mas veja quem recebe os "direitos de autor" e os lucros do seu investimento, seja em ciência ou o que quer que seja ... SÃO AS EDITORAS !!!!!!!!!!

    Fui convidado, há uns anos, muitos, talvez até mais de 20/25 para elaborar um manual ...

    Se soubesse as condições ...
    Diziam que dava prestígio ...
    Como não calo a revolta, disse-lhes para ficarem com o prestígio ... e outras coisas que me coíbo de traduzir para português ...

    Tenho aqui as condições de algumas editoras, (que me enviaram há menos de 1 ano), portanto recentes ...
    Até tenho duma que queria que eu financiasse a obra a 100 % ...

    Se fosse mais novo, dedicava-ma a isto, para que os jovens escritores tivessem uma oportunidade ...
    Mas não só as editoras ... depois há as distribuidoras ...
    depois as livrarias ...
    Se declarar ás finanças os "chorudos lucros" ... verá que não chega a 5 %.
    É o valor intelectual duma obra, 5 %, para o seu autor.

    Os louros do produto, por cada um inventado, vão para os abutres, 95 %.

    É isto que me revolta ... mas agora montar uma máquina de fazer, distribuir e vender, não é fácil e requer muito mais juventude.

    Desculpe o desabafo ...
    Mas eu sinto na pele as regras "impostas" no mercado e pelo mercado.

    Esqueci-me de referir que, se for um escritor dos "consagrados", mesmo que escreva um monte de lixo, tem sempre o livro vendido e até se esfaqueiam para disputar o autor ...

    Não negócio nenhum na nossa sociedade, onde não haja abutres ...
    Maldita sociedade!!!

    ResponderEliminar
  6. Ainda não desabafei tudo ...
    Tinha, tive ou terei, um "livro" de poesia", que não vou editar e até tive um familiar com uma editora.
    Para que conste e não pense que é mentira, era a, "O Livro Branco", em Rio Tinto.
    Já tinha posto de pé a "Areal Editores", ele e sócia da Asa, que de momento me esqueci do nome. Zita !!!
    Saíram da ASA para "edificarem" a Areal.

    Ao mesmo tempo, tenho umas palermices dumas obras para teatro, tudo de humor e uns textos.

    Felizmente que tenho muito cabelo ... quando me mostraram as condições até ia ficando careca ...

    Deixo tudo pronto, um dia, depois de "embarcar" para aquele sítio, os filhos que façam o que quiserem.
    Eu não mexo uma palheira.

    Ainda assim, na ASA ainda me receberam meia dúzia de vezes, para correcções, uns cortes e mais umas "merdas", desculpe o termo, mas a vontade era tanta de me publicarem os livros, porque, incluía também, um livro técnico de Hidráulica, que nada há ou quase nada em Português de Portugal ... é tudo brasileiro e do século passado e tudo evoluiu, até eu que caminhei para velho, mas actualizei a mente.

    Pois os livros, Poemas, que eu queria com fotos, mas fizeram-me desistir, ficava caro, como se eles pagassem alguma coisa.
    No livro de textos, tive que tirar os dois que mais gostava.
    Depois meteram-se no livro técnico.
    Pouco sei.
    Não foi na faculdade que me ensinaram a Hidráulica prática do dia a dia.
    Foi a vida de 30 anos que me ensinou e isso não vem nos livros.

    Peguei nas fotocópias, as minhas e as que tinha entregue e nem boa tarde ... SAÍ PARA SEMPRE !!!

    Talvez consiga algo em Espanha estas férias ... mas também não é nenhum paraíso.
    Mas não há comparação possível.

    É por isso que sou um revoltado.

    Vejam a qualidade do blog, "Os Meus Encantos", posso falar dele, porque a autora, fez o favor de se zangar comigo.
    Portanto, podia dizer mal dela, mas não digo.
    Escreve lindamente ... tinha tudo acertado para lhe publicarem o livro, até um salão Nobre, na Cidade do Porto, no fim de Novembro ... quando fez o favor de se zangar ...
    Alguém sabe porquê?
    Sabia que eu sou casado, que não é aos 61 anos que me meto com quem quer que seja, quanto mais na net.
    Normalmente quando me telefonava era a minha mulher que atendia ... não necessito de andar a enganar seja quem for, prefiro enganar-me a mim próprio, que vivo num paraíso.

    Um dia, acabou-se ... ainda bem.

    Deixei de ter que pensar por mim e por mais alguém.
    Agora sou só eu.

    Parece que já está tudo nos carris.

    INTÉ!!!

    ResponderEliminar
  7. Infelizmente, a exploração do suor alheio não é apenas primazia das editoras...tudo o que meta intermediários tem este problema. Outro exemplo gritante são as editoras discográficas. Os artistas já andam à procura de soluções em espaços cibernáuticos, como o MySpace e o YouTube, agora os livros é muito mais complicado...

    ResponderEliminar
  8. A Mafalda Arnault, resolveu o problema.
    Coloca os seus discos na Internete, sem necessidade de qualquer contrapartida.
    Quem gosta de a ouvir, compra o CD ou DVD, nem que seja para oferecer.
    Só tenho pena de não me aparecer a entrevista que ela deu sobre os direitos de autor e como a roubavam, dando-lhe uma côdea.
    Não ganhava para comer uma sopa todos os dias ... a(s) editora(s) só pagam uma percentagem sobre os lucros.
    Agora, dizia ela, pode vender menos, mas ganha para poder comer.
    Só lido ...

    Mas nos livros já viu a roubalheira?
    Se tudo for levado legalmente, um autor não chega a receber 5 %, quando muitos nem isso ...

    Vou-me calar.
    Vou de férias e só volto a reclamar lá para 22 de Agosto.
    talvez o mar me refresque as ideias e me amanse mais ...
    Vou levar o portátil e talvez ele não se recuse a aturar-me em férias

    Um até já!!!

    ResponderEliminar

The summer is gone III