Avançar para o conteúdo principal

Intoxicação

Dizem os cientistas que as feromonas são sustâncias químicas produzidas pelas glândulas sexuais de alguns animais, espécie humana incluída, para atrair um indivíduo de outro sexo.
Pergunta: e aquelas pessoas que passam a vida a apaixonar-se, com tantos químicos à solta, não correrão o risco de sofrerem algum dia de intoxicação química?

Comentários

  1. Exactamente!!! É por isso que anda tudo intoxicado...somos todos "amorosos" e damos cabo do ar que respiramos ;););)

    ResponderEliminar
  2. Sim, acho que é verdade... mas também me parece que os nossos "químicos", as feromonas, acertam facilmente com várias pessoas, no entanto, há alguém com um químico desses que é o que melhor acerta... e aí... senhores... é completamente irresistível... é quando te apaixonas incondicionalmente e tudo corre e resulta na perfeição, sempre com imperfeições claro! Eu pelo menos, romântica ou apenas sonhadora, ainda acredito nisso, no amor, químico, etc etc, que nos completa e nos faz feliz!!!

    Beijinhos!

    ResponderEliminar
  3. Bem, ter química a mais também pode ser bom. E não acredito que isso cause intoxicação, mas pode causar alguns problemas, lá isso...Boa semana!

    ResponderEliminar
  4. Saudações
    Na verdade, acho que é o próprio amor que intoxica, e não os feromônios...
    Abraços

    ResponderEliminar
  5. ou de se tornarem viciadas....


    ps: muito certeiro o teu comentário na Fotoescrita

    ResponderEliminar
  6. Quando o amor nos intoxifica é quando nos aproximamos mais da sanidade da alma humana, Mac. Ai que ópio tãobom, cujo vício, em vez de matar, engrandece que por ele se deixa tocar. E quando então também ele é tocado... Que vida triste, sem esse ácido benigno que nos faz sorrir perante uma realidade às cores.
    Vinha mesmo só agradecer a visita ao Largo da Graça e a elegancia das palavras que ali teve a geerosidade de deixar.
    O melhor para a Mac
    Luís F. de A. Gomes

    ResponderEliminar
  7. Gala15:23

    a sensação de estar smp apaixonada é optima, do melhor :)
    e há tantas formas de sentir paixão.
    esse vício kero-o smp :)

    beijinhos

    ResponderEliminar
  8. Hmm... ai esta uma grande questao... mas axo k as pxoas k paxam a vida a apaixonar-se deve ser so por serem insensiveis as ferormonas... ou seja td o k vem a rede e peixe Lool

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

Mensagens populares deste blogue

8

Conceito de fim...



Ontem abri aleatoriamente as páginas de um livro, tinha um leve cheiro do teu perfume. Estremeci, a tua memória preencheu-me.

Por momentos esqueci as minhas noites solitárias, tantas noite em que chorei até pensar que já não teria nada dentro de mim, em que todo o sentimento, toda a dor, toda a perda, foram derramadas sobre a almofada, essa almofada a que me agarro nessas noites que parecem não terminar, essa almofada que acalma os pesadelos que teimosamente insistem em visitar-me. Sinto-me oca, vazia, de tanto chorar...A gata, que ocupou o teu lugar na cama, acorda muitas vezes comigo a gritar o teu nome, acorda comigo empapada em suor. Coitada da bichana, mia baixinho junto do meu ouvido, numa tentativa de me reconfortar, o que até resulta, mas os pesadelos da tua ausência são uma visita constante.

Às vezes penso se estes pesadelos não serão a minha consciência a gritar de culpa. Cheguei a desejar a tua morte, sabias? Houve uma altura em que me fartei de correr para…

7

Era uma porta enferrujada. E ela entrou.

O autocarro partiu e a porta atrás dela se fechou.
Carregada de sacos onde cabiam os sonhos que o mundo apagou,
Só pensava em fugir de uma vida sacrificada, na rotina de vida em que tombou.
Saiu de casa com os seus sacos mal o dia madrugou,
Regressa a casa com os seus sacos já a noite se fechou,
Sempre com os seus sacos, mais um dia que acabou.
Carrega uma vida nas pernas que o mundo desengonçou,
As mãos grosseiras, a pele acabada, de tanta casa que limpou.
Quando chega a casa ainda vai cuidar da filha que gerou,
A sopa num ápice tragou,
Enquanto a filha o peito mamou,
Mas de tão cansada nem a própria casa arrumou.
Chega o marido, traste, bêbado, canalha, bate-lhe e ela nem notou,
Mais um dia que se passou.
Deitou-se dorida e sonhou,
Sonhou com uma porta enferrujada que sobre ela se fechou
Ali, com uma pedra com o seu nome ela se deparou
E ela finalmente descansou...