Avançar para o conteúdo principal
11ºMandamento:
Não invocarás o santo nome de Sócrates em vão.

Artigo 37.º da Constituição da República Portuguesa:
(Liberdade de expressão e informação)
1. Todos têm o direito de exprimir e divulgar livremente o seu pensamento pela palavra, pela imagem ou por qualquer outro meio, bem como o direito de informar, de se informar e de ser informados, sem impedimentos nem discriminações.
2. O exercício destes direitos não pode ser impedido ou limitado por qualquer tipo ou forma de censura.

Comentários

  1. Esqueceste que há muitas leis que são só para encher papel?

    ResponderEliminar
  2. Até concordo com a ideia que queres passar mas a liberdade de expressão e informação têm de ter limites. De acordo com APENAS esse artigo teria o direito de saber tudo sobre qualquer pessoa que eu quisesse e divulgar o que quisesse... sem censura.
    Mas para variar um pouco (ou não) as coisas nunca são lineares. Se um Primeiro-Ministro chamasse um nome a um professor (nem precisava de ser conhecido do público) de certeza que qualquer partido e os sindicatos dos professores pediriam a sua "cabeça".
    Será que tu (ou qualquer outra pessoa) defenderias o Primeiro-Ministro da mesma maneira?

    Beijos.

    ResponderEliminar
  3. Olá Mac:)
    Vou seguir à risca o teu 11º mandamento e pôr tento na língua sempre que dissertar sobre a filisofia socratiana.
    Suponho que era desse que falavas, do Grande Sócrates -conhece-te a ti mesmo-, porque além dele não conheço, nem reconheço, mais nenhum:):)
    Será a penalidade para quem o desdenhe um shot de cicuta???
    Ufa... nunca imaginei que um mandamento, um Artigo da CRP, e um filósofo da antiguidade dessem tanta água pela barba:):)
    Apetece-me PRAIA:)

    ResponderEliminar
  4. Apoiado! FASCISMO NUNCA MAIS!
    É triste frases destas fazerem sentido em pleno séc. XXI. FIca bem ;)

    ResponderEliminar
  5. Para o b: quando Bento XVI disse o que disse naquela famosa palestra sobre o islamismo, e deu a polé mica que toda a gente sabe, muita gente defendeu que como Papa, e representante duma instituição deveria ter tido mais cuidado com o seu discurso.
    Eu digo o que disse na altura: 1)sou 100% a favor da liberdade de expressão; 2) este direito custou muito a conquistar, e foi muito sangue derramado na sua conquista. Hoje ninguém liga a essa luta, e o resultado é que está deitado numa qualquer sarjeta. 3) Se o Durão Barroso ou Santana Lopes ainda fossem 1ºMinistro, toda a comunicação social, e tu também, os apelidava de fascistas, como é o PS, já não faz mal. Mas olha que o fascismo não vem só da direita...

    ResponderEliminar
  6. Eu não vejo as coisas por direita ou esquerda, por PS ou PSD mas tento ver as coisas por todos os lados (e é muito difícil e não consigo e por isso gosto de "discutir" opiniões). Identifico-me com ideias e não com partidos ou lados (não gosto de partidos nem sindicatos) mas para mim antes de pensarmos em leis devia-se usar bom senso. Tudo bem que a liberdade de expressão demorou a conquistar mas não é por isso que a vamos usar mal porque é por vezes o excesso (e espero que não me interpretes mal... mas às tantas vais) de liberdade de expressão que vidas são arruinadas.
    Sou a favor da liberdade de expressão mas antes disso sou a favor do bom senso e nem sempre é fácil decidir qual delas.
    Imagina que uma colega de trabalho lança-te insultos na tua empresa... achas que ela tem liberdade de expressão e ficas quieta? Ou respondes? Tenho a certeza que em muitas empresas deve haver pessoas a serem despedidas por terem insultado os chefes e no entanto ninguém invoca liberdade de expressão como razão para não ser despedida. Mas como ninguém gosta do Governo (seja esquerda ou direita que esteja no poder) as coisas ganham outra amplitude. Se fosse ao contrário, o Primeiro Ministro tinha-se demitido e ninguém diria que ele tinha liberdade de expressão.
    Não digo que o que está a acontecer seja o correcto mas acho que as duas partes deviam ter bom senso. Volto a dizer que tudo que envolve emoções humanas nunca é linear.
    Vamos ver no que isto vai dar.

    Beijos

    ResponderEliminar
  7. Tens razão b, se alguém dissesse mal de mim também não iria gostar, e responderia à letra. Nas empresas não sei, mas na função pública há pessoas a levarem processos e a serem suspensas por terem faltado ao respeito ao chefe.
    É 1 treta...Nem o Sócrates tem a ver com a história (digo eu...). Quem meteu o pé na argola foi a directora da DREN. Ainda hoje (25/5) o min. Mário Lino estava a falar para 1 assembleia de engenheiros, e lá disse "Eu sou Engº Civil, e inscrito na Ordem". Portanto, olha, esta história já pertence ao anedatório nacional. A senhora lá teve outras razões para processar o professor.
    Enfim...politiquices...

    PS: estou a gostar desta nossa troca de opiniões. :-)*

    ResponderEliminar
  8. Olha para o que eu digo...não para o que faço ;)

    ResponderEliminar
  9. podes publicar o outro que esse mandamento já decorei

    ResponderEliminar
  10. Nem sabes o que te pode acontecer se pecares contra esse mandamento... :)**

    ResponderEliminar
  11. Nhanhanha eheh ai que vou presaaaaaaaa mas como vivo no deserto e aqui nao ha nada... nem policia para me prender ahah

    ResponderEliminar
  12. Gala01:09

    este foi mt bem metida. acho ke ouve alguém a faltar as aulas de direito.Toda a gente diz e faz piadas...akele senhor apanhou a mulher nakeles dias do mês :p
    amén a constituição-salva-vidas lol

    beijo

    ResponderEliminar
  13. Sou defensora acérrima da liberdade de expressão. sou contra qq tipo de censura. há limites, sim. mas os limites de cada um e da sociedade em q vivemos inseridos e nao limites partidarios, religiosos ou, cm neste caso, na figura do 1º ministro...

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

Mensagens populares deste blogue

8

Conceito de fim...



Ontem abri aleatoriamente as páginas de um livro, tinha um leve cheiro do teu perfume. Estremeci, a tua memória preencheu-me.

Por momentos esqueci as minhas noites solitárias, tantas noite em que chorei até pensar que já não teria nada dentro de mim, em que todo o sentimento, toda a dor, toda a perda, foram derramadas sobre a almofada, essa almofada a que me agarro nessas noites que parecem não terminar, essa almofada que acalma os pesadelos que teimosamente insistem em visitar-me. Sinto-me oca, vazia, de tanto chorar...A gata, que ocupou o teu lugar na cama, acorda muitas vezes comigo a gritar o teu nome, acorda comigo empapada em suor. Coitada da bichana, mia baixinho junto do meu ouvido, numa tentativa de me reconfortar, o que até resulta, mas os pesadelos da tua ausência são uma visita constante.

Às vezes penso se estes pesadelos não serão a minha consciência a gritar de culpa. Cheguei a desejar a tua morte, sabias? Houve uma altura em que me fartei de correr para…

7

Era uma porta enferrujada. E ela entrou.

O autocarro partiu e a porta atrás dela se fechou.
Carregada de sacos onde cabiam os sonhos que o mundo apagou,
Só pensava em fugir de uma vida sacrificada, na rotina de vida em que tombou.
Saiu de casa com os seus sacos mal o dia madrugou,
Regressa a casa com os seus sacos já a noite se fechou,
Sempre com os seus sacos, mais um dia que acabou.
Carrega uma vida nas pernas que o mundo desengonçou,
As mãos grosseiras, a pele acabada, de tanta casa que limpou.
Quando chega a casa ainda vai cuidar da filha que gerou,
A sopa num ápice tragou,
Enquanto a filha o peito mamou,
Mas de tão cansada nem a própria casa arrumou.
Chega o marido, traste, bêbado, canalha, bate-lhe e ela nem notou,
Mais um dia que se passou.
Deitou-se dorida e sonhou,
Sonhou com uma porta enferrujada que sobre ela se fechou
Ali, com uma pedra com o seu nome ela se deparou
E ela finalmente descansou...